Academia de Alta Performance Profissional
"Lapidar Talentos é nosso compromisso"

Seu filho está preparado para tomar uma decisão quanto ao futuro?

Você já sabe como ajudá-lo, neste desafio?

Neste mundo incerto, de grandes e rápidas mudanças, certo é que não dá para prever o futuro de forma segura, e apresentar isto para os jovens para que eles tomem suas decisões de forma segura.

O que se deve fazer para que se faça uma escolha ideal, que elimine o risco do seu filho entrar em uma canaleta?

Será que os paradigmas que funcionaram para as escolhas profissionais no passado ainda são válidos?

Muitos jovens ainda estão sendo influenciados pelos velhos paradigmas e estão correndo o risco de entrarem em uma “canaleta”.

O paradigma anterior está firmado na cultura desenvolvida no século passado onde se considerava que o ser humano era uma mão de obra que poderia ser
treinada para executar qualquer processo repetitivo e padronizado.

Esta era a cultura da era industrial.

As pessoas eram os robôs, e o indivíduo escolhia a sua profissão, sem considerar os seus talentos naturais.

Este velho paradigma tem levado a maioria dos pais a orientarem seus filhos para a escolha de uma profissão seja de nível técnico ou superior, exigindo assim uma definição no final do 2º. Grau/Ensino médio.

Assim o jovem era orientado para o conceito de empregabilidade, mas não necessariamente para a conquista da satisfação pessoal.

Nota-se hoje, que muitos dos jovens que assim foram orientados, estão frustrados quanto a sua realização pessoal. Isto tem gerado um aumento sensível da ansiedade, depressão e outras doenças psicossomáticas.

Outro aspecto a considerar é que ainda hoje muitos pais orientam os jovens para trabalhar em uma empresa por um longo tempo, na busca de uma estabilidade de emprego, onde a qualificação/especialização teria validade por toda a vida profissional, e isto não é mais uma realidade.

O mundo mudou rapidamente. Hoje o conceito de estabilidade profissional e da validade da especialização por toda a vida, não é mais a realidade dos dias atuais e nem o que se prevê para o futuro.

Os jovens que hoje estiverem sendo orientados e direcionados profissionalmente com base neste velho paradigma, estarão sujeitos ao risco de não se tornarem úteis para a sociedade, e por consequência terem dificuldades em se empregar.

Por fim, não podemos mais garantir quais serão as profissões que irão dar uma garantia de sobrevivência no futuro.

Tudo está mudando rapidamente, e o conceito de profissão está mudando para o conceito de função, que provavelmente terá um prazo curto de validade.

Ao longo da vida estes jovens irão percorrer diversas funções, e irão evoluir sempre a sua referência como um profissional.

Por tudo isto que foi dito, a conscientização dos jovens pré-universitários para esta nova realidade, deve também passar por uma re-significação dos pais do conceito atual de utilidade profissional, tirando o peso do jovem da decisão imediata por uma profissão.

Hoje os jovens pré-universitários precisam ser orientados para a escolha de um curso técnico/universitário, que agregue “competências que sejam harmônicas” aos seus talentos naturais, sem colocá-los de forma definitiva em uma canaleta.

Sendo assim o autoconhecimento (quem sou, o que posso e o que quero) deve ser a base das escolhas sem interferências externas.

Com base nisto o jovem deve avaliar as disciplinas dos cursos disponíveis, independente do título do curso, buscando conhecimentos que constituam um núcleo forte e flexível para se adaptar a quaisquer que sejam as novas exigências do mercado.

Isto ajudará o jovem na escolha do próximo passo de sua capacitação, sem ter o peso e o compromisso de uma escolha definitiva para sua vida profissional.

Os jovens conhecem os conceitos de “POSSIBILIDADE X OPORTUNIDADE”?

O mundo nos oferece muitas opções, e um dos maiores conflitos pessoas estão nos momentos em que temos que fazer nossas escolhas.

Lembrando o filme “Alice no País das Maravilhas”, para quem não sabe o que está buscando, qualquer caminho serve.

Quando nossas escolhas se baseiam na comparação entre as opções disponíveis, ou seja, nas possibilidades existentes, geralmente o resultado não é o mais satisfatório.

Este processo nos coloca em um alto risco de entrarmos na “canaleta”.

Os jovens sabem a importância de tomar decisões com base em “OPORTUNIDADES”?

Quando nossas escolhas se baseiam na comparação do que realmente irá atender a manifestação e a utilidade de nossos talentos naturais, temos então aqui a identificação daquilo que é realmente uma “oportunidade”.

Segundo Jay Niblic, fundador da Innermetrix, uma das maiores empresas mundiais de mapeamento de talentos, quando aplicamos de forma útil nossos talentos naturais, temos “o dobro da performance com a metade do esforço”.

Ainda segundo ele, as pessoas que se tornaram “geniais”, não necessariamente são os que tem o maior QI, mas os que acionaram completamente de forma útil os seus talentos naturais.

Os Jovens sabem como evitar o “risco de entrar na canaleta”?

Os Jovens sabem como evitar o “risco de entrar na canaleta”?

Segundo um estudo/pesquisa mundial da fundação Gallup, mais de 65% das pessoas no mundo estão atuando fora das áreas de seus talentos naturais.

A atuação fora dos talentos naturais resulta na ausência de motivação para o trabalho e para a vida. Isto provoca baixa produtividade, baixa remuneração, baixa qualidade de vida, surgimento de doenças mentais e psicossomáticas.

As estatísticas mundiais mostram o aumento sensível da depressão nos últimos anos.

A comprovação disto está no aumento diário no consumo dos remédios tarja preta nos últimos anos.

As análises destas situações mais críticas, mostram que a maioria das decisões quanto ao direcionamento profissional, teve uma influência de uma busca rápida e prática para ganhar dinheiro muito cedo, tirando do jovem a oportunidade de vivenciar uma experiência de utilidade com base nos seus talentos naturais.

Se olharmos a nossa volta, veremos muitos que “entraram na canaleta” por trem considerado isto em suas decisões, e agora não sabem como sair desta situação.

Quais seriam as principais dicas para os jovens?

A proposta da Good Talents para os jovens.

Após todas nossas análises do problema e de propostas de solução, concluímos que estas devem ser as melhores orientações para os jovens que realmente querem chegar ao “sucesso”.

  • Que se conheçam o mais profundamente possível e que façam as suas escolhas com base em oportunidades e não em possibilidades.
  • Que tenham em mente que não são objetos engessados, mas sim um núcleo de talentos naturais que podem ser flexíveis para assumir diversas formas (funções).
  • Que saibam selecionar dentro do que lhes for oferecido conhecimentos que sejam harmônicos com seus talentos naturais, e que os coloquem em prática o mais cedo possível.
  • Que tenham em mente um objetivo maior que guiará os seus passos e que o permitirá no futuro avaliar que realmente valeu a pena ter vivido.
  • Nós hoje podemos afirmar que este objetivo precisa “apenas” ser “des-envolvido” ou seja, precisamos tirar o que está envolvendo aquilo que já está dentro de nós, e que o reconhecimento disto é um processo interno sem interferências externas.

Porque a Good Talents resolveu atuar, levando soluções para esta necessidade?

Após anos atendendo profissionais que se encontram perdidos e nas condições que acima foram descritas, conseguimos identificar a causa raiz na vida destas pessoas, e decidimos então trabalhar também na eliminação destes riscos já na adolescência.

Verificamos que muitos dos que estão nos consultórios de psicólogos, psiquiatras e psicanalistas estão na canaleta, e chegaram neste ponto por não terem feito boas escolhas lá na origem de sua vida profissional.

Aqui na Good Talents muitos que aqui chegam, mesmo na fase adulta, conseguem resolver esta questão, e através do nosso trabalho conseguem sair da canaleta e “reconquistar a sua utilidade”.

Nós reconhecemos que um dos fatores mais fortes na construção da felicidade está na conquista da utilidade acionando nossos talentos naturais.

Sendo assim decidimos que também iríamos ajudar os jovens, educando-os de forma que façam suas escolhas e tomem suas decisões de forma consciente, tendo como base os seus talentos naturais.

Estruturamos então um Programa focado no Direcionamento para a utilidade junto a sociedade a ser aplicado em jovens talentos, o qual está calcado nos mais modernos conceitos de mapeamento de talentos, psicologia, psicanálise e reconhecimento da realidade do mercado de trabalho, hoje e no futuro.

E agora o que poderemos fazer?

Quanto mais cedo, pudermos levar aos jovens a visão desta realidade e a compreensão deste novo paradigma, evitaremos perdas de tempo, recursos financeiros da família e estaremos realmente investindo na formação de uma estrutura forte, flexível e orientada para a utilidade.

Assim este jovem poderá conquistar uma vida útil, saudável, física, psicologicamente e emocionalmente, preparado então para quaisquer mudanças na sociedade que venham ocorrer.

Muitos são os talentos que estão enclausurados, e não podemos deixar que isto ocorra com os jovens que irão constituir a “nova sociedade”.

Nós da Good Talents, estamos comprometidos com isto!

E você?

Conte conosco!


Baixar artigo em PDF

Inscreva-se no meu grupo no Telegram para receber conteúdos exclusivos

Rubens Borges
Rubens Borges

Empresário, Professor de Cursos de Pós-Graduação e MBA, Consultor e Coach Empresarial
Fundador da Íntegra Capacitação Empresarial

Compartilhe:

Você também pode se interessar por: